10/12/18

10 perguntas sobre a toxina botulínica

Há muito tempo a toxina botulínica caiu na graça das pessoas. E não é para menos. A substância é utilizada com várias finalidades estéticas, que vão desde a suavização de rugas dinâmicas até redução da sudorese em determinadas áreas do corpo. Com a popularidade, surgem também as dúvidas. E é para esclarecer as principais delas que apresentamos esse artigo, hoje. 🙂

 

  • Qual a diferença entre toxina botulínica e Botox?

 

O Botox nada mais é que uma marca comercial da toxina botulínica. Existem várias disponíveis no mercado, todas compostas pelo mesmo princípio ativo, a toxina botulínica. Diferentemente de outros produtos, no caso da toxina botulínica, a marca não interfere na qualidade do produto. Todos eles têm a mesma estrutura molecular, causando exatamente os mesmos efeitos. Mas o Botox acabou se tornando mais conhecido no mercado e levando a fama da toxina botulínica. Isso acontece também com produtos de outros segmentos, como dipirona x Novalgina; paracetamol x Tylenol etc.

 

  • Do que a substância é composta?

 

A toxina botulínica é proveniente da bactéria Clostridium botulinum, que causa a doença botulismo. Ela é fragmentada, purificada, esterilizada e congelada à vácuo antes da aplicação. É utilizada em doses tão pequenas e controladas, em região local, que é incapaz de desencadear a doença. Graças aos seus bons resultados e à sua segurança, o uso para fins estéticos é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

 

  • Como ela age no organismo?

 

Quando a toxina botulínica entra em contato com a pele, inicia um processo de relaxamento muscular a partir da interrupção da transmissão dos impulsos nervosos dos neurônios em direção aos músculos. Sem receber o comando do cérebro, os músculos não se contraem. As rugas são resultado da repetição dos movimentos ao longo dos anos. Logo, sem movimento não há rugas.

 

  • Quais são as indicações?

 

A toxina botulínica é indicada para o tratamento de rugas dinâmicas, aquelas causadas pelo movimento. Ela suaviza as marcas de pés de galinha, rugas da testa e da região da glabela (espaço entre as sobrancelhas). Também promove o arqueamento de sobrancelhas, melhora o contorno facial, e reduz a sudorese excessiva. Mas o seu principal efeito é preventivo, evitando o surgimento de novas rugas.

 

  • Quais são as contraindicações?

 

Não podem utilizar a toxina botulínica pessoas com doenças crônicas ou autoimunes, grávidas e lactantes. Também é contraindicada para pacientes alérgicos a ovo, porque a toxina tem albumina, uma proteína também presente no ovo. De um modo geral, os pacientes precisam gozar de boa saúde no momento da aplicação, porque trata-se da injeção de uma substância que não é encontrada naturalmente no corpo. Logo, o sistema imunológico pode entender como uma agressão e desenvolver anticorpos para reagir à toxina, causando efeitos adversos.

 

  • A aplicação pode deixar o rosto sem expressão?

 

Dependendo da quantidade de produto utilizada e da região onde é feita a aplicação, a toxina botulínica pode, sim, deixar o rosto sem expressão. Por isso é tão importante escolher bem o profissional com quem será feito o procedimento. A quantidade varia de acordo com o objetivo e o planejamento do tratamento, que deve ser feito anteriormente. Também é proporcional à gravidade do dano: quanto mais marca de expressão, mais produto será necessário.

 

  • A partir de que idade a toxina botulínica pode ser aplicada?

 

Não há idade mínima e nem máxima para a aplicação da toxina botulínica. Considerando sua indicação preventiva, ela pode ser utilizada tão logo o paciente queira retardar os efeitos do tempo. Considerando sua ação reparadora, pode ser utilizada por qualquer paciente na terceira idade, desde que tenha um bom quadro de saúde.

 

  • A aplicação dói?

 

A aplicação, de um modo geral, causa um leve desconforto. A agulha utilizada é extremamente fina e atinge as camadas mais superficiais da musculatura. Para pacientes com uma tolerância menor à dor, também existe a possibilidade do uso de anestésico local para aumentar o conforto durante a aplicação, que dura, em média, 30 minutos.

 

  • Qual a durabilidade?

 

A durabilidade depende da condição geral da pele e da forma como o organismo vai lidar com a toxina botulínica. Segundo os fabricantes, os efeitos duram de dois a seis meses, com uma média de três a quatro meses. No consultório, costumamos indicar duas aplicações ao ano, que trazem resultados progressivos consideráveis. É importante também manter um bom estado geral da pele, com hidratação, limpeza profunda e estímulo à produção de colágeno, entre outros. Mantendo as consultas regulares e dando sequência ao planejamento inicial, a pele tende a ficar sempre bonita, independentemente da idade.

 

  • Os resultados da aplicação são imediatos?

 

Qualquer que seja a finalidade da aplicação da toxina botulínica, os resultados começam a ser percebidos a partir de dois a três dias da injeção da substância no corpo, em um processo que pode durar até 15 dias. Portanto, se o paciente tem um objetivo específico com a aplicação, como o rejuvenescimento da aparência para a participação em um evento, por exemplo, é importante considerar esse prazo antes da realização do procedimento.

 

  • Que profissional pode aplicar a toxina botulínica?

 

Podem fazer a aplicação os profissionais estetas habilitados pelos seus respectivos conselhos de classe, como biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros e médicos. Além de observar as habilitações, também é preciso verificar se o profissional tem experiência no uso da toxina botulínica e se o produto utilizado é de referência, a fim de evitar complicações e efeitos adversos. E é sempre melhor quando a aplicação da toxina é associada a outros tratamentos, que também devem ser indicados pelo profissional de acordo com os objetivos apresentados pelo paciente, na consulta inicial.

Tem mais alguma dúvida sobre a toxina botulínica? Deixe nos comentários que teremos o maior prazer em responder!