05/11/18

Biomedicina estética: qualificação e segurança a serviço da sua beleza

Há dois anos, nós, profissionais da Biomedicina Estética, comemorávamos a suspensão de uma liminar movida pelo Conselho Federal de Medicina e a Sociedade Brasileira de Dermatologia contra a atuação de biomédicos na estética. Em outubro de 2016, em segunda instância, a Justiça reconheceu que o biomédico esteta é, sim, habilitado para exercer as atividades previstas nas regulamentações do Conselho Federal de Biomedicina e autorizou a retomada do exercício profissional.

Nós, da equipe Lízia Campos, juntamente com outros profissionais, temos a honra de ter lutado ativamente junto ao Conselho Federal de Biomedicina para reverter a liminar que impedia a nossa atuação profissional. Nós nos mobilizamos e integramos uma equipe técnica que derrubou, um a um, os argumentos apresentados pelos médicos. E é para deixar registrada a nossa competência para atuar na estética que escrevemos este artigo, hoje, pouco mais de dois anos depois dessa vitória.

 

Entendendo a biomedicina estética

E estética é reconhecida como área de atuação biomédica desde 21 de fevereiro de 2011. Para atuar na área, o profissional biomédico deve ter especialização reconhecida pelo Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) e ser habilitado pelo seu Conselho Regional de Biomedicina (CRBM). Também precisa estar em dia com o registro e as anuidades do órgão.

As resoluções que regulamentam a atividade autorizam que o biomédico esteta realize avaliações, consultas e diagnósticos de disfunções estéticas que não são consideradas doenças. Também permite que ele exerça procedimentos de fins estéticos invasivos não-cirúrgicos, e indique medicamentos não-controlados, isentos de prescrição, de acordo com o que preconiza as regulamentações da biomedicina e as leis vigentes.

 

Resoluções que regulamentam a biomedicina estética

– Resolução 197, de 22 de fevereiro de 2011: define as atribuições dos profissionais biomédicos estetas e permite que atuem como Responsáveis Técnicos de empresas que executam atividades para fins estéticos.

http://crbm1.gov.br/RESOLUCOES/Res_197de21fevereiro2011.pdf

– Resolução 200, de 1º de julho de 2011: dispõe critérios para habilitações em biomedicina estética.

http://crbm1.gov.br/RESOLUCOES/Res_200de01julho2011.pdf

– Resolução 214, de 10 de abril de 2012: estabelece o uso de substâncias em procedimentos biomédicos estéticos.

http://crbm1.gov.br/RESOLUCOES/Res_214de10abril2012.pdf

– Resolução 241, de 29 de maio de 2014: regulamenta a prescrição para fins estéticos.

http://crbm1.gov.br/novosite/wp-content/uploads/2013/12/RESOLUCAOCFBM-n-241-2014.pdf

 

Por que o biomédico é capaz de atuar na estética

Os biomédicos obtêm, em sua especialização, conhecimentos de de anatomia, fisiologia, farmacologia, microbiologia, bioquímica e em diversas outras áreas da saúde, que os credenciam a atuar seguramente na área da estética. Além disso, o biomédico esteta precisa fazer pós-graduações específicas, mantendo uma educação continuada que lhe forneça habilitação necessária para exercer a profissão.

Além do biomédico, outros profissionais da saúde, cirurgiões-dentistas e farmacêuticos também podem atuar na estética, observando as regulamentações de seus respectivos conselhos de fiscalização profissional.

Portanto, você pode escolher não só o biomédico esteta, mas qualquer um desses profissionais para realizar procedimentos estéticos invasivos não-cirúrgicos, basta se certificar de que ele é mesmo habilitado e tem conhecimento e experiência suficiente para realizar os procedimentos que você deseja.