07/05/18

Fios de sustentação para o rosto: efeitos e tipos de materiais

O envelhecimento da pele gera perda de colágeno e flacidez dos tecidos, que deixam de sustentar a pele com a mesma eficiência anterior. Na face, isso gera o deslocamento da gordura para baixo, com queda da maçã do rosto e da bochecha, perda do contorno da mandíbula e aparecimento do chamado bigode chinês. Apesar de ser menos comum, eles também podem ser implantados no corpo, em locais como o abdômen e os glúteos.

Em casos nos quais o envelhecimento ainda está em estágio inicial, com flacidez leve e sulcos superficiais, existe uma solução estética que dispensa a cirurgia: são os fios de sustentação absorvíveis. Eles também são usados de maneira preventiva.

São vários os efeitos benéficos que os fios de sustentação são capazes de gerar na nossa aparência, sempre de forma muito natural:

 

  • Melhoram o ângulo da mandíbula e deixam o contorno do rosto mais definido;
  • Melhoram a sustentação da bochecha e a deixam com aparência mais cheia,
  • Atenuam sulcos como o do bigode chinês;
  • Levantam o nariz, afinam a ponta e a asa nasal;
  • Suspendem a cauda da sobrancelha, abrindo o olhar;
  • Conseguem projetar queixo retrognato, deixando o rosto mais harmônico;
  • Suavizam disfunções estéticas no pescoço;
  • Deixam a pele mais firme e viçosa.

 

Tipos de fios de sustentação

No Brasil, trabalhamos com dois tipos de fios de sustentação.

Um deles, chamado de fio de PDO, que são fios menores, feitos de polidioxanona. O principal efeito dele é estimular a produção de colágeno. Nesse caso, ocorre um lifting tardio, pois ao gerar a contração das fibras da pele, contrai a própria pele também. O procedimento é bem rápido, levando cerca de 30/40 minutos. Sua duração gira entre 6 e 8 meses, em média.

Já o fio polilático, composto pelo ácido homônimo, é um fio bem maior e mais resistente. Devido ao seu tamanho e espessura, permite a realização de um Excelente lifting.Como a substância do qual é feito demora mais para ser absorvido, tem maior duração, chegando a um ano e meio. Esse tipo de fio tem duas apresentações diferentes, sendo que a diferença está numa espécie de âncora que um deles possui.

O fio sem a âncora produz um lifting leve a moderado e produz muito colágeno, deixando a pele com aspecto jovem e cheia de vida. O seu procedimento de implantação leva cerca de uma hora. Já a versão com com âncora têm um poder de lifting muito maior, pois permite dar nós com mais facilidade e puxar mais a membrana da pele. Apesar de sua absorção acontecer em cerca de 18 meses, após o procedimento, a pele do paciente mantém aparência muito melhor do que antes de realizá-lo. Isso porque ele é capaz de deixar um histórico de produção de colágeno, que o nosso corpo jamais fabricaria sozinho. Para inseri-lo no rosto, gasta-se em média duas horas e seu resultado é praticamente instantâneo.    

Independente do tipo de fio, sua implantação exige apenas anestesia local. Eles são inseridos na face por microagulhas, através de pequenos furos, que fecham imediatamente após o procedimento. Uma vez dentro da pele, eles ficam ancorados na membrana que reveste o osso.  

Para realizar o procedimento com fios de sustentação, a consulta prévia é imprescindível. É nela que a pele e o nível de envelhecimento de cada paciente será avaliado detalhadamente, para então definir a quantidade e o tipo de fio que trará melhor resultado.