04/05/19

Odontologia: um marco na minha carreira de biomédica esteta

No final de 2019, realizo um sonho pelo qual venho lutando, diariamente, há mais de 4 anos: minha formatura na Odontologia. Muita gente estranhou quando comecei uma segunda graduação, depois de acumular no currículo um mestrado, seis especializações e ter dado aula em cursos superiores da área da saúde por mais de 10 anos.

Teve quem achasse que eu fosse mudar de profissão. Alguns especuladores chegaram a cogitar que a minha decisão de voltar para a faculdade estava relacionada à suposta proibição de os biomédicos atuarem na estética. Nem uma coisa, nem outra.

Sabe por que decidi cursar Odontologia?

Para aprimorar meus conhecimentos em estética. Isso mesmo!

Mesmo dando cursos livres de estética há mais de cinco anos, percebi que quanto mais a gente estuda, mais há por estudar. Trabalhar com saúde e bem-estar é uma responsabilidade muito grande, e exige dos profissionais constante atualização. No meu caso, entendi que muitas das respostas que eu buscava estavam na Odontologia.

E não me enganei.

A harmonização facial, que é o que eu mais amo fazer na estética, caminha de mãos dadas com a Odontologia. O sorriso é parte fundamental da harmonia do rosto e os cirurgiões-dentistas são, também, especialistas do sorriso.

Uma riqueza chamada Odontologia

Na Odontologia, aprendi muito sobre os dentes, é verdade. Mas aprendi muito sobre outras coisas ainda mais interessantes. Tem a estomatologia, que é o estudo das diversas patologias que afetam a boca e os dentes. E o que dizer da cirurgia, que era uma das áreas profissionais que mais despertavam o meu interesse na adolescência, quando eu estava decidindo o meu futuro profissional?

Também aprendi sobre a cefalometria, que é o estudo das dimensões da estrutura do crânio e da face. Sem falar do estudo da anatomia, que nunca é demais. Na Odontologia, a anatomia está presente em todo o curso, direta e indiretamente. Se o futuro odontólogo não souber tudo na ponta da língua, é improvável que ele consiga trabalhar, muito menos trabalhar bem.

Na Odonto, aprendi mais sobre os fármacos, mas de uma maneira diferente do que é estudado na Biomedicina. Na Biomedicina, a farmacologia está voltada para fins de diagnóstico, laboratoriais, já que as análises clínicas são uma das principais especialidades do biomédico. Já na Odontologia, a farmacologia é muito mais abrangente. O cirurgião-dentista é habilitado a prescrever antibióticos e anti-inflamatórios e isso não é pouca coisa.

Aprendi tanta coisa que seria impossível ilustrar tudo em um texto só. Nem preciso dizer o quanto essa experiência melhorou a minha prática na biomedicina estética, né?

Tenho muito orgulho de dizer que a Odontologia me fez uma biomédica melhor. E é a busca incessante por conhecimento que nos transforma em profissionais mais preparados e seguros. Quem ganha com isso são os nossos pacientes.

Para quem ainda tinha dúvidas, reafirmo: vou continuar atuando como biomédica esteta, mas com um repertório muito maior agora.  

Finalizada a Odontologia, tenho planos de continuar estudando. Afinal, sempre há o que aprender.

Agradeço o apoio da minha família, dos meus professores, dos colegas das duas profissões, dos pacientes queridos e da minha equipe. Tudo faz muito mais sentido com vocês por perto. E não vejo a hora de colocar tudo o que aprendi em prática! Pode vir, formatura!