19/03/18

Por que se deve indicar tratamento, e não procedimento

Depois de muitos anos dando cursos em estética avançada para profissionais de várias áreas, percebi que muitos ainda não compreendem realmente o que são os tratamentos. Alguns têm dificuldade de olhar para o rosto do paciente e indicar as melhores técnicas de acordo com as necessidades dele.

O primeiro passo para suprimir essas dúvidas é entender verdadeiramente os conceitos. O procedimento é a técnica utilizada visando um objetivo específico. O tratamento é a soma de esforços empenhados, inclusive com associação de procedimentos, para alcançar efetivamente o resultado esperado pelo paciente.

Portanto, procedimento e tratamento são coisas bem diferentes.

É possível que o paciente chegue ao consultório em busca de uma rinomodelação, por exemplo. Mas, o que ele quer de verdade é ter um rosto mais harmonioso, que pode ser obtido com ou sem a rinomodelação. Dependendo do caso, pode-se indicar preenchimento labial, arqueamento de sobrancelhas, rejuvenescimento da pele…

Enfim, existem vários procedimentos disponíveis para alcançar os mais diversos objetivos e a soma deles vai se transformar no tratamento recomendado para aquela pessoa, naquele momento.

Por isso, recomendo sempre que os profissionais concentrem seus esforços em buscar as melhores soluções por meio de um tratamento completo, que inclua todos os procedimentos possíveis para levar aos melhores resultados. E, consequentemente, à maior satisfação do paciente.

Só tem bons resultados quem aprende a combinar técnicas para suprir as necessidades do paciente. O paciente nem sempre sabe o que quer e não cabe a ele a decisão sobre qual procedimento se submeter. Portanto, entenda bem o que ele precisa e veja se possui atender aquela expectativa com as ferramentas e o conhecimento que você tem disponíveis.

Leia mais: Quem escolhe o procedimento é o profissional, e não o paciente