04/05/19

Saiba mais sobre os 5 tipos de preenchedores disponíveis no Brasil

Hoje em dia, existe uma infinidade de marcas de preenchedores disponíveis para as mais variadas necessidades dos pacientes. De um modo geral, a substância é a mesma, havendo pouca variação de um produto para o outro.

Todos os preenchedores têm pró e contraindicações dependendo de cada caso. Saber utilizá-los corretamente é muito importante para o sucesso do tratamento.

Preparamos este artigo para te ajudar a entender as características de cada preenchedor disponível no Brasil, permitindo que você faça boas escolhas no seu consultório.

Ácido Hialurônico: é o mais biocompatível de todos. Para reverter os efeitos da aplicação, se necessário, existe a enzima hialuronidase, que funciona como antídoto do ácido hialurônico no organismo.  Como temos esse componente sintetizado no organismo, é possível aplica-lo em vários planos do tecido: dérmico, subdérmico, subcutâneo, justa ósseo, em rugas finas e também para hidratação. É, sem dúvida, o mais versátil, mas o que tem menor durabilidade, em torno de 9 a 12 meses.

Hidroxioapatita de cálcio: preenchedor que promove excelente estimulação de colágeno e dura entre 12 e 18 meses, mais que o ácido hialurônico. É indicado, sobretudo, para o preenchimento das mãos, já que, além de aumentar o volume, estimula a produção de colágeno e disfarça as veias proeminentes. É um componente dos ossos e dos dentes, de cor esbranquiçada. Possui forma esférica e porosa, podendo ser mais ou menos diluído dependendo da indicação.

Polietilenoglicol: preenchedor de longa duração, mas com baixa estimulação de colágeno. É de aplicação profunda e, portanto, de maior complexidade. Não permite a aplicação de outro tipo de preenchedor no mesmo local. Seus resultados duram, em média, 24 meses.

Ácido Polilático: preenchedor que, se bem indicado, pode substituir o uso dos fios de sustentação, proporcionando mais qualidade e bem-estar ao paciente após o procedimento. Pode ser aplicado em todas as camadas da pele para repor o volume perdido, amenizando o aspecto dos ossos mais proeminentes. Tem duração aproximada de 18 meses.

Ácido Caprolactona: mais novo preenchedor disponível no Brasil, mas já bastante usado na Europa e nos Estados Unidos por médicos e odontólogos. Tem quatro tipos e a diferença entre eles é a durabilidade dos efeitos de cada um, que varia de um a quatro anos. Todos são compostos por esferas do mesmo tamanho, o que varia é o peso molecular delas. Quanto mais pesado, mais demorado será o processo de degradação. É um preenchedor profundo, só podendo ser aplicado no terço médio e no terço inferior do rosto.  

Antes de escolher entre um e outro, faça uma detalhada consulta e ajuste as expectativas do paciente com os recursos que você tem disponíveis no seu consultório para atendê-lo. Leve em consideração também a sua técnica e conhecimento para a aplicação.

Escolha somente os produtos com os quais você tem segurança para trabalhar e não se exponha a riscos desnecessários. Infelizmente, muitos profissionais se dispõem a fazer técnicas que não dominam, levando a complicações que prejudicam não só o paciente, mas a sua própria carreira.

Caso não se sinta confiante o suficiente, faça cursos de aprimoramento e troque informações com colegas mais experientes. Se você se dedicar, dentro de pouco tempo poderá oferecer as melhores alternativas para o seu paciente, mas com segurança e responsabilidade.