19/03/18

Tudo o que você precisa saber sobre toxina botulínica

Conheça mais sobre a queridinha da área de beleza

Reconhecida pela sua eficiência e simplicidade de aplicação, a toxina botulínica (popularmente conhecida como botox – que é, na verdade, uma das marcas comerciais da substância) se tornou a queridinha na área de beleza. Hoje, é o procedimento estético mais realizado no Brasil e no mundo.

A toxina botulínica é extraída de uma proteína derivada da bactéria Clostridium botulinum. Essa bactéria é a causadora da doença botulismo, mas a substância utilizada para fins estéticos é purificada, esterilizada e congelada a vácuo antes da sua aplicação, que é feita em doses que não desencadeiam a doença.

 

Ação preventiva

Sua utilização mais frequente é na prevenção e suavização de rugas e marcas de expressão, mas é usada também no arqueamento das sobrancelhas e no tratamento de hiperidrose (suor excessivo). As rugas passíveis de melhora com a aplicação da toxina botulínica são aquelas dinâmicas, que aparecem ao contrairmos algum músculo da face, como quando sorrimos, forçamos a vista ou franzimos a testa. Sobre as rugas estáticas, visíveis mesmo quando nenhum músculo do rosto se movimenta, a injeção da toxina não tem grande efeito. Para esses casos, existem outros procedimentos a serem realizados, como o preenchimento cutâneo, por exemplo.

A ação mais eficiente da toxina botulínica é preventiva. Então, o ideal é que o tratamento seja feito antes que as rugas se instalem. Como efeito reparativo, ela consegue apenas amenizar rugas mais profundas, ao retirar a tensão da musculatura. As rugas comumente tratadas com a toxina botulínica são os pés de galinha, as rugas da testa e da região da glabela (espaço entre as sobrancelhas).

 

Como age no organismo

A toxina botulínica impede a transmissão dos impulsos nervosos dos neurônios em direção aos músculos, permitindo o relaxamento da musculatura da região. Sem receber o comando do cérebro, os músculos não se contraem. Sendo as rugas resultado dos danos à derme devido a essas movimentações musculares, sem movimento, não se forma ruga.

 

Durabilidade dos efeitos

O tratamento é feito em sessão única e os resultados começam a aparecer a partir da primeira semana de aplicação. Lentamente os músculos vão distensionando e as rugas vão diminuindo. Seu efeito máximo se dá com cerca de 15 dias.

A durabilidade dos efeitos da toxina botulínica é de 2 a 6 meses, sendo que a média de duração da grande maioria dos pacientes gira em torno de 4 meses. Essa variação depende da resposta de cada organismo. Um dos fatores que exerce influência sobre a permanência desses efeitos é a reação do sistema imunológico. Qualquer substância injetada no nosso organismo que não seja produzida naturalmente por ele desencadeia a produção de anticorpos. É o corpo tentando se proteger do desconhecido e trabalhando para neutralizar a ação dessa substância. É isso o que acontece com a toxina botulínica. Assim, com o passar do tempo, o efeito que ela provoca nos músculos vai passando.

A expressividade de cada um também interfere no tempo de duração dos resultados. Quanto mais movimentos faciais a pessoa fizer, mais rapidamente as marcas de expressão reaparecerão. Cada mímica, desde esforços para ler e caretas quando olhamos para o sol, influencia, pois são como exercícios para que o músculo retome sua capacidade de tensionar. A força muscular de cada indivíduo também é diferente. E quanto mais força tiverem os músculos, menos duradouros serão os efeitos.

Por conta da relevante influência das características de cada organismo nos resultados, é essencial que o tratamento seja individualizado e personalizado. É a avaliação de cada caso que garante boas respostas. Antes de iniciar o procedimento é preciso investigar o sistema imunológico do paciente, diagnosticar seu tônus e sua força muscular. Só assim é possível definir a dose ideal para cada um. Essa análise das condições de cada paciente também é importante para que o profissional possa entender exatamente o que a pessoa deseja. Em alguns casos, a solução mais indicada por ser até uma combinação com outro procedimento que potencialize os efeitos da toxina, como o lifting.

A recomendação é que o procedimento seja feito duas vezes por ano, para manter os efeitos alcançados e evitar o surgimento de novas rugas, pois previni-las é muito mais fácil e barato do que remediá-las.